terça-feira, 30 de outubro de 2012

Nordeste precisa de R$ 25,8 bilhões em logística



O Nordeste precisa investir R$ 25,8 bilhões em infraestrutura nos próximos anos para garantir o escoamento da produção. É o que aponta o estudo Nordeste Competitivo, divulgado nesta terça-feira (30) pela Confederação Brasileira de Indústria (CNI), em parcerias com as federações das indústrias dos nove estados da região. Os recursos são necessários para dar andamento a 83 projetos considerados prioritários para a ampliação e modernização de rodovias, ferrovias, hidrovias e portos.

O estudo apresenta os gargalos que, dentro de alguns anos, podem travar o escoamento da produção dos nove estados para os mercados internos e externos. A análise geral identifica que para solucionar todos os problemas, 196 projetos precisam ser realizados, representando um custo de R$ 71 bilhões. Das ações mais urgentes, as ferrovias e portos necessitam de investimentos de R$ 12 bilhões e R$ 11 bilhões, respectivamente. Outros R$ 2,8 bilhões precisam ser destinados a obras em benefício das rodovias e hidrovias. Com a redução dos custos e o fortalecimento da economia, a região teria um retorno do investimento em pouco mais de quatro anos.

O estudo foi realizado a fim de ajudar o governo a planejar as redes de transporte e logística para integrar a região, diminuir os curtos de produção e fortalecer a indústria na região. “A deterioração da infraestrutura encarece o transporte e diminui a competitividade da indústria nacional. Claro que houve investimentos, mas ainda não foi suficiente para atender os esforços da indústria nacional para atender a demanda do mercado interno e externo”, frisou o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) elogiou a iniciativa do governo federal com o plano de concessões de rodovias e ferrovias e a desoneração dos custos de energia elétrica para a indústria, mas acrescentou que é preciso aumentar o volume de investimento da iniciativa privada. “O setor público não tem condições de sozinho arcar com todos os custos. A iniciativa privada precisa conhecer esse portfólio de áreas para investimentos”, destacou.

Entre os projetos indicados para a realização está a adequação da BR-116 de Salgueiro-PE a Feira de Santana-BA, dragagem do canal de acesso no porto de Fortaleza e construção de terminal de contêineres, pavimentação de vários trechos da BR-116 e construção de acesso rodoviários ao Porto de Salvador. O Porto do Recife também seria contemplado com a dragagem para 11,5 metros e recuperação dos cais e armazéns. Já o indicado para o Porto de Suape é a dragagem do canal externo, construção do segundo terminal de contêineres e do novo terminal de grãos e do terminal de açúcar. Suape também seria beneficiado com a recuperação da Transnordetina entre Itabaiana, na Paraíba, e o Recife.

No Nordeste, as indústrias produzem o equivalente a R$ 29,2 bilhões por ano, especialmente no setor de bebidas, de papel e celulose, de açúcar de álcool, de combustíveis, de biscoitos e bolachas, de autopeças, de farinha de trigo e de petroquímicos. Cerca de 93% da produção agropecuária na região estão relacionadas as cadeias de cada-de-açúcar, de bovinos, de fruticultura, de mandioca, de soja e de milho.

O Nordeste Competitivo é o terceiro estudo divulgado pela CNI. Os primeiros foram concentrados no Norte e no Sul. Na região Norte são necessários R$ 13,8 bilhões para obras prioritárias de infraestrutura, enquanto no Sul a necessidade é de R$ 15,2 bilhões. Atualmente, está sendo feito o quarto estudo, focado na região Centro-Oeste.

Fonte: Leia Ja