quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Cursos para atender à grande demanda




Com a chegada de novas empresas e indústrias ao Complexo Industrial Portuário de Suape, a demanda por mão de obra especializada vem crescendo. Com isso, surgiu a necessidade de preparar, capacitar e qualificar os trabalhadores  pernambucanos. E para obter o sucesso, é preciso investir em cursos e qualificações que proporcionem o conhecimento e a habilidade para realizar as funções requisitadas.

Pensando nas inúmeras oportunidades proporcionadas pelo crescimento de Suape, a jovem Rayara Melizy de Oliveira Wanderley, de 20 anos, optou por acompanhar o desenvolvimento. 

Durante dois anos foi aluna do curso de Petroquímica, oferecido pelo Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), no campus de Ipojuca. “Sempre quis fazer algo voltado para a área de petróleo, sempre busquei isso para o meu futuro. Não existiam nesta área, em Pernambuco, esses cursos, apenas os de nível técnico ou em instituições de ensino superior particulares”, declarou, enfatizando que sempre buscou as instituições federais. Quando surgiu o do IFPE, ela fez o vestibular, passou e cursou durante dois anos. E já foi aprovada no concurso da Petroquímica Suape.

“Me formei em agosto deste ano e em setembro recebi o telegrama me informando que fui aprovada na seleção para a função de operador júnior”, disse.

Ela fez parte da primeira turma e assegura que o curso atendeu às suas expectativas. “Foram dois anos que valeram a pena, tanto que passei em um concurso. Muita gente não acreditava nele, pois era algo novo. Agora vejo que surgem oportunidades não só em Pernambuco, mas no resto do Brasil também”. Rayara Melizy não quer parar. Pretende, agora, cursar Engenharia Química.

Exemplos como o dela estão sendo seguidos. É o caso da estudante Ana Cristina Pimenta Guimarães, aluna do curso de Gestão Portuária da Universidade Católica de Pernambuco. Graduada em secretariado pela Universidade Federal de Pernambuco, no ano de 1985, ela quis repaginar o currículo e dar um novo direcionamento na carreira. Assim, faz parte da primeira turma  “Como o mercado está muito voltado para essa área, comecei pesquisando cursos e instituições. Faço parte da primeira turma e pretendo fazer pós-graduação, já que assim se abre um leque de opções para o futuro. Quero estudar para concurso também, como um da Petrobras, por exemplo, e disponibilizar meu currículo para o mercado. Pretendo trabalhar na parte de logística”, revelou. Casada, mãe de dois filhos, Ana Cristina recebeu todo o apoio da família, e se identificou bastante com a formação.

Fonte: Folha PE