sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Indústria pernambucana recupera confiança



O Índice de Confiança da Indústria de Pernambuco (ICI-PE) cresceu 3,2% em dezembro na comparação com novembro, aponta sondagem realizada pela Agência Condepe/Fidem e Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgada nesta quinta-feira (10). Entre um mês e outro, o ICI-PE passou de 113,2 para 116,8 pontos, indicando uma recuperação na confiança do setor. No mesmo período, o ICI-BR registrou variação de 1,2%, atingindo 102,9 pontos.

De acordo com o levantamento, o aumento da confiança industrial em Pernambuco foi influenciado tanto pelo momento presente quanto pelas expectativas para os meses seguintes. O Índice da Situação Atual (ISA-PE) avançou 4,1% (125,9 pontos), enquanto o Índice de Expectativas (IE-PE) cresceu 2,2%.

Segundo Rodolfo Guimarães, diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas da Agência Condepe/Fidem, a recuperação do segmento já era esperada no estado. “A reação da indústria local resulta em parte de medidas tomadas em âmbito nacional, apesar do setor, em Pernambuco, não ter em nenhum momento apresentado queda, como no Brasil. Isso significa que em 2013 a indústria de transformação tanto nacional quanto local deve acelerar a retomada”.

Dentre os quesitos, a maior influência em relação ao momento presente foi do nível de estoques. Depois de recuar para 103,6 pontos em novembro, o indicador avançou 5,6% em dezembro, atingindo 109,4 pontos, o melhor nível desde junho de 2011. A proporção de empresas que consideram os estoques insuficientes subiu de 12,7% para 16,2%. Ao mesmo tempo, houve diminuição da parcela de empresas que avaliaram os estoques como excessivos, de 9,1% para 6,8%.

A boa expectativa para contratação de mão de obra nos próximos três meses foi o que mais contribuiu para o aumento do Índice de Expectativas. O indicador cresceu 5,9% em dezembro (121,2 pontos), maior patamar desde maio de 2012. A parcela de empresas que esperam reduzir o efetivo de mão de obra caiu de 25,3% para 6,7%, enquanto que a das que preveem maior nível de emprego diminuiu de 29,8% para 27,9%. Para mais da metade dos empresários (65,4%), o estoque de empregos se manterá igual, enquanto que em novembro esse percentual era de 34,9%.

Já o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) medido pela sondagem chegou a 80,6% em dezembro. O resultado ficou acima da média para o período desde abril de 2005 (78,3%). A coleta de dados foi realizada entre os dias 3 e 21 de dezembro com 310 empresas informantes.

Fonte: Diário de Pernambuco