segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Navio é brasileiro. Holandesa é a plataforma.



A Transpetro enviou nota em que esclarece: João Cândido é mesmo brasileiro e não holandês, como informou anteriormente o JC. Quem realmente mudou de nacionalidade, ganhou registro na Holanda e 
salvou as exportações pernambucanas no ano passado foi a plataforma P-55, também produzido no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A matéria publicada anteriormente pelo Jornal do Commercio você vê neste link. A nota de esclarecimento da Transpetro sobre a nacionalidade do João Cândido segue na íntegra, logo abaixo.

"Rio de Janeiro, 24 de janeiro de 2013

Em relação a matéria “Navio salva exportações”, publicada na edição do Jornal do Comércio, de 19 de janeiro de 2013, a Transpetro esclarece que:

1_ O navio João Cândido é brasileiro, construído por operários brasileiros no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Pernambuco, e registrado no Brasil.

2_ A embarcação, que entrou em operação em 25 de maio de 2012, está registrada sob o n° 381 388521-6, na Capitania dos Portos do Estado do Rio de Janeiro, órgão da Marinha do Brasil, responsável pela inscrição de embarcações sob bandeira brasileira.

3_ Mediante esta inscrição, o navio está habilitado a hastear a bandeira brasileira e passa a ser parte integrante do território nacional, sujeito às leis brasileiras e convenções internacionais ratificadas no Estado de Registro.

4_O suezmax João Cândido, o primeiro navio construído no Nordeste para o Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) da Transpetro, tem 274 metros de comprimento e capacidade para transportar 1 milhão de barris – quase a metade da produção diária nacional por águas internacionais.
Diante do acima exposto, solicitamos a este prestigioso jornal, a publicação destas informações."    

Fonte: JC Online