quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Trechos da BR-101 serão desviados para construção de complexo de viadutos.


A Concessionária Rota do Atlântico começa uma nova etapa das obras de construção do Complexo de Viadutos no Cabo de Santo Agostinho, que facilitará o acesso ao Porto de Suape e ao Litoral Sul. Para iniciar os serviços, o tráfego de veículos que circulam pela BR-101 Nova será mudado a partir desta quarta-feira (23) . Por dia, cerca de 7 mil veículos circulam pela via em cada sentido.

Durante uma semana, no trecho abaixo do viaduto que dá acesso à BR-101 antiga/Cabo, próxima ao Hospital Dom Helder Câmara, meia pista em cada sentido será interditada para a preparação dos blocos dos pilares. Após esse período será feita a interdição de uma das pistas, tornando a outra mão-dupla. A medida é necessária para garantir a segurança durante a fundação dos pilares.

Para evitar retenções, o tráfego será supervisionado diretamente pela engenharia operacional da concessionária. Uma equipe estará de prontidão com o objetivo de minimizar o impacto no trânsito e realizar as sinalizações necessárias com informações sobre os desvios. Um painel de mensagens variável transmitirá avisos sobre o fluxo de veículos e sobre as intervenções.

Outros desvios na BR-101 Sul estão previstos para acontecer ainda no primeiro semestre deste ano. A primeira intervenção aconteceu no mês de novembro de 2012 com a interdição de meia pista da alça viária no acesso da BR-101 nova para a rotatória junto à BR-101 antiga.
 
ROTA DO ATLÂNTICO – A Concessionária Rota do Atlântico é responsável pela construção e operação dos novos viadutos que integrarão o Complexo Viário e Logístico Expressway. Com cerca de 43 quilometros de extensão, a nova via absorverá o fluxo de veículos pesados com destino às indústrias e ao Porto de Suape, desafogando a PE-60 para o tráfego de veículos leves. 

A via expressa, que segue até a PE-38, no distrito de Nossa Senhora do Ó, será o caminho principal para as praias do Litoral Sul, encurtando a distância em 8,4 quilômetros em relação à PE-60, com uma economia de tempo de cerca de 20 minutos, considerando a velocidade de 100 km/h da via expressa.

Com um contrato de 35 anos de concessão e investimentos de R$ 450 milhões, a Rota do Atlântico prestará serviços de operação, monitoramento e conservação das vias, além da construção do complexo de cinco viadutos, de uma nova rodovia entre Suape e a PE-38, do acesso à Ilha de Tatuoca, das rotatórias na Curva do Boi e em Nossa Senhora do Ó, e da requalificação do Contorno do Cabo e TDR’s Norte e Sul. 

O início das operações está previsto para o fim do primeiro semestre deste ano. A tarifa de pedágio será cobrada de forma unidirecional, permitindo o acesso a todo o complexo viário.

Fonte: Folha PE