terça-feira, 12 de março de 2013

PIB de PE cresce em ritmo mais que dobrado em comparação com o cenário nacional




O Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco cresceu 1,3% no quarto trimestre do ano passado, acumulando um crescimento de 2,3%, a preços de mercado, de acordo com dados divulgados, nesta segunda-feira (11), pela Agência Condepe/Fidem. Apesar de visivelmente abaixo do esperado, que corria em torno de 5%, o número é visto com otimismo pelo órgão, que considera o cenário favorável e dentro do esperado. Em comparação com o PIB brasileiro de 2012, com crescimento de apenas 0,9%, os números de Pernambuco representam mais que o dobro da realidade nacional.
Subdivididos por atividade econômica, o variante, originado da soma de todos os serviços prestados e bens produzidos, apresentou índices favoráveis e de crescimento no setor de serviços (2%). E, entre as atividades que mais se destacaram no período, estão Transporte (11,2%), Aluguéis e Intermediação Financeira (4,1%), e ainda Serviços Prestados às Famílias (3,5%).
“Diante de uma economia internacional em crise, marcada por países com crescimento negativo e taxas elevadas de desemprego, podemos identificar um quadro satisfatório em Pernambuco, apontando cifras superiores às praticadas na economia do País”, destacou Maurílio Lima, presidente da agência.
Já conhecida por apresentar desempenho acima do esperado, a Indústria registrou, na verdade, um quadro de estabilidade (0,0%), na comparação com o ano anterior. A Construção Civil liderou a área, exibindo uma variação positiva de 3%, já os serviços de utilidade pública apresentaram uma queda expressiva de 4,9%.
Outra atividade vista com desânimo foi a de Agropecuária, marcado pelo desempenho negativo de 10,4%, no último trimestre, e amargando queda de 15% em relação ao acumulado de 2012. “Este segmento foi uma exceção, impactado pelos decréscimos na pecuária, no que se refere aos bovinos, e também nas lavouras temporárias, a exemplo dos cultivos de cana-de-açúcar e feijão. A Agricultura e a Pecuária estão enfraquecidas pela seca que, infelizmente castiga Pernambuco e tanto preocupa nossas autoridades”, pontuou o diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas, Rodolfo Guimarães. 
Gráfico: Desempenho (%) do PIB trimestral de Pernambuco e do Brasil – 2012 

Ainda segundo Maurílio, “A economia do Estado está baseada em investimentos, que, nos próximos anos, com certeza, apresentarão importantes resultados”, disse, em referência ao avanço de Suape e às obras de infraestrutura em continuidade, como a refinaria e polo petroquímico.
No âmbito do Comércio, no que diz respeito à geração de empregos, a atividade autônoma apontou o decrescimento de -2,5%, atribuída a migração dos trabalhadores para o campo formal, atuando com atividade remunerada em diversos outros setores. De acordo com o órgão de pesquisa e planejamento, o PIB pernambucano, em valores correntes, totalizou R$ 115,6 bilhões. “Nosso desejo é manter este ritmo, se beneficiando e também contribuindo para o crescimento do País”, concluiu Guimarães.