quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Com investimento de R$ 500 milhões, Suape ganhará hotel e dez torres empresariais.

Foto: Reprodução

Oferecer a infraestrutura de serviços necessária ao novo momento de Suape é o que propõe a Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário (QGDI) ao lançar o empreendimento Latitude Suape, que contará com dez torres empresariais, hotel e open mall, além da nova sede do complexo industrial portuário, que será o ponto principal da obra. Ao todo, serão investidos R$ 500 milhões e a obra deve gerar pelo menos 1,5 mil empregos diretos durante a construção e outros dois mil após a entrega.

O diretor regional da QGDI, Múcio Souto, explica que a obra está sendo desenvolvida em parceria com o complexo e vai suprir a necessidade do porto de uma zona especial de serviços. Previstos para o open mall, que vai dispor de 3,6 mil metros quadrados de área bruta locável e disponibilidade para 38 operações, estão restaurantes, agências bancárias e até centro médico. “Com relação ao hotel, fizemos uma pesquisa que mostrou uma taxa de ocupação extraordinária para aquela área, porque não existe hotel ali. Hoje, ou os trabalhadores ficam no Recife ou seguem para Porto de Galinhas, que oferece outro tipo de hospedagem”, esclarece. A bandeira do hotel ainda não foi apresentada, mas já se sabe que contará com 248 quartos e terá um perfil executivo de alto padrão.
Já com relação às torres empresariais - que somam três, na primeira fase do empreendimento, que será entregue já em 2014, junto com o mall e a sede de Suape - a QGDI afirma ter sido procurada por faculdades, empresas de consultoria, além de outros segmentos que querem estar dentro do centro, porém as vendas só devem começar no início de dezembro. “Ainda estamos fechando o valor do metro quadrado, que deve estar dentro do preço de mercado. Em geral, esse valor varia muito conforme custo do terreno - e levamos em conta que Suape também tem lajes nesta obra, existe uma permuta. Podemos falar num preço entre R$ 8 mil e R$ 9 mil”, pondera.
A sede de Suape é certificada com o selo Leed Gold - exigência do edital de licitação vencido pela QGDI para a construção deste edifício - que deve render dividendos ao complexo. “Os equipamentos serão sublocados, gerando receita. O fato de ter um selo gera uma condição de locação vantajosa, porque o empresário pode dizer que sua empresa está em um prédio com responsabilidade ambiental”, pontua o diretor de planejamento do complexo, Jaime Alheiros.
Fonte: Folha PE