segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Suape supera recorde de 11 milhões de toneladas e tem melhor ano da história



O Porto de Suape, localizado no litoral Sul de Pernambuco, terá em 2013 o seu melhor ano em termos de movimentação de cargas. O ancoradouro atingiu na terceira semana de novembro a marca de 12 milhões de toneladas movimentadas, volume que supera as 11,25 milhões de toneladas registradas em 2011, até então o melhor ano para o Porto.

A expansão das operações foi impulsionada pela maior movimentação de granéis líquidos, sobretudo de combustíveis. Suape realizou, neste mês, a primeira operação de transbordo de diesel pela modalidade conhecida como "ship to ship" (navio a navio, no termo em inglês).

De acordo com a direção de Suape, também ajudou no desempenho a queda no tempo médio de desembaraço de cargas, o que foi possível graças à implantação da jornada de 24 horas de funcionamento do porto, que é considerado o "motor" da economia de Pernambuco. Suape concentra hoje pouco mais de R$ 50 bilhões em investimentos, distribuídos entre 150 empresas de diversos setores e tamanhos.

Do montante total, a Petrobras responde por cerca de R$ 40 bilhões, sendo R$ 34 bilhões na refinaria Abreu e Lima e R$ 6 bilhões na Petroquímica Suape. Apesar da quantia significativa de recursos federais investidos em Suape, piorou nos últimos tempos a relação entre o governo de Pernambuco, responsável pela administração do porto, e a União. Suape aguarda, por exemplo, que o governo federal dê andamento às licitações do novo terminal de contêineres, fundamental para a estratégia de tornar o porto uma referência para cargas vindas da Ásia.

Originalmente prevista para este ano, a licitação não deve sair antes de março de 2014. Outro ponto de atrito está nas obras de dragagem do canal externo de Suape. Necessária para a operação dos grandes petroleiros que abastecerão Abreu e Lima, a dragagem está parada desde maio último por falta de pagamento à empresa holandesa Van Oord, responsável pelos trabalhos. Alegando irregularidades nas obras, a Secretaria Especial de Portos, ligada ao governo federal, suspendeu os repasses de recursos para a dragagem.

Informado pela Van Oord, o governo holandês ameaça denunciar o calote brasileiro aos organismos internacionais. O secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco e presidente de Suape, Marcio Stefani, disse que a Embaixada da Holanda no Brasil voltou a tratar da questão recentemente, mas que nenhum acordo foi feito até o momento.

O planejamento de longo prazo do Porto de Suape prevê a movimentação de 90 milhões de toneladas em 2030. Atualmente em 400 mil unidades por ano, a movimentação de contêineres estimada é de pouco mais de 1,5 milhão de unidades.

Fonte: Porto da Gente