quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Suape Sustentável e CPRH promovem oficina intersetorial da pesca artesanal e aquicultura familiar.

Foto: Grace Souza / Ascom Suape

Representantes de cinco secretarias estaduais estiveram reunidos com o vice-presidente do Complexo de Suape, Caio Ramos, e com o presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Carlos André Cavalcanti, para definir os eixos estruturantes da política da pesca artesanal e da aquicultura familiar no dia 12/12, em Olinda. Na pauta das discussões, o planejamento das ações que irão melhorar a estrutura e fomentar a economia do setor, com foco na sustentabilidade e preservação do meio ambiente. A atividade faz parte da segunda etapa do Programa Escola do Mar, lançada em junho deste ano pelo Complexo de Suape e pela CPRH, cujo objetivo é elaborar o plano estadual de ações da pesca artesanal litorânea e aquicultura familiar.
Além de Suape e CPRH, participaram do seminário a Secretaria de Planejamento (Seplag), a Secretaria da Mulher, a Secretaria do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo (STQE), a Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA) e a Secretaria de Recursos Hídricos que apresentaram suas ações estratégicas e interfaces com o projeto. Para o vice-presidente de Suape, Caio Ramos, o momento é de grande oportunidade para organizar e estruturar as ações existentes e identificar os desafios e oportunidades para um planejamento sustentável.  Ao final do seminário, foi criado um grupo de monitoramento e gestão para acompanhar o andamento do plano de ações dentro da política estadual da pesca artesanal e aquicultura familiar.
A pesca artesanal é uma atividade econômica importante para o estado. Em 2010, produziu aproximadamente 14 mil toneladas de pescado, gerando uma receita de R$ 37,2 milhões para 50 mil pessoas que sobrevivem dessa atividade, de acordo com o Diagnóstico da Pesca realizado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). 
Programa Escola do Mar - A primeira fase da Escola do Mar correspondeu ao processo de diagnóstico e mobilização social de 14 colônias e 2 associações de pescadores durante os meses compreendidos entre maio e dezembro de 2012. No dia 17 de junho deste ano, Suape e CPRH lançaram a segunda etapa que prevê o planejamento das ações para serem executadas na terceira fase, em 2014.
Fonte: Suape